Compras on-line

fonte: www.diariodepernambuco.com.br
fonte: www.diariodepernambuco.com.br

Achei interessante a iniciativa da Mantecorp em oferecer sua linha de produtos dermatológicos diretamente ao consumidor. Ótima oportunidade de cativar o consumidor com preços mais atrativos.

Comprar pela internet é sempre tentador pois encontramos preços mais convidativos. Mas sempre surge a dúvida se o site é confiável. Mas quando tem uma grande empresa por trás, essa dúvida praticamente desaparece.

O site para compras de produtos da Mantecorp é www.e-piderme.com.br

mas tem uma pegadinha, você precisa de um número de um cartão que será entregue a você pelo dermatologista, junto com a receita se nela tiver algum produto da Mantecorp. Com este número você faz o seu cadastro, só então terá acesso aos produtos, inclusive preços 🙁

Eu deveria achar bom porque valoriza a prescrição, e eu penso que a idéia é essa.  Mas sinceramente eu não gosto deste tipo de vinculação.  Eu penso que o acesso deveria ser livre, já que são produtos vendidos sem prescrição. Não gosto de ser usada como vendedora. Poderiam divulgar o site na própria embalagem, sei lá…

Eu também não acessei o site ainda (eu também tenho que ter um cartão, hahaha) e não sei se já está funcionando, e não sei se os preços estão compensando, espero que sim. E parece que não tem ou não vai ter cobertura nacional (ainda, eu espero). Assim que souber alguma coisa conto para vocês. Se alguem souber de alguma coisa conta aí nos comentários.

Para quem está em dúvidas os produtos Mantecorp vendidos no site: Linha Episol, Epidrat e Epidac.

Beijos

9 thoughts on “Compras on-line

  1. Comecei um tratamento para rejuvenescimento da pele há cerca de 3 meses com minha dermatologista.
    Estou passando um creme manipulado no rosto e tomando Nutryorac (www.nutryorac.com.br) todo dia, pela manhã e na hora do almoço.
    Os efeitos de nutryorac me parece, foram mais eficientes que o creme, a base de Dmae e ácido kójico ( é assim que se escreve?)
    Já tomei o inneov ( http://www.inneov.com) mas achei o efeito pouco eficiente.
    tomo muita água ( quase 3 litros por dia) e evito sol o máximo que posso.

  2. Oi, Pedro,

    Nossa, vc madrugou! rs.

    Ah, não sabia desse detalhe do acordo… e do motivo de virem em inglês. Pensava que fosse só pra complicar ainda mais a vida do consumidor, rs.

    Pior que eu sei inglês, mas tenho mesmo é preguiça de ler :$, justamente por serem substâncias químicas, algo meio fora do que a gente aprende, quando aprende uma língua.
    Verdade, pra quem não tem a mínima noção de química não deve ser fácil , ainda mais estando numa língua à qual a maioria não tem muito acesso. Eu sou familiarizada com os nomes das substâncias, por fazer tratamento já há alguns anos e por sempre ter lido bulas avidamente, rsrs. Mas tem algumas substâncias que eu não entendo mesmo estando em português… imagina uma pessoa que nunca ligou muito pra isso? Se bem que ler os ingredientes dos produtos não deve ser algo muito comum, será? 😀

    Que legal mais essa dica que vc deu, vou ficar de olho agora e vou lá ver o site. Obrigada pelas informações ;).

  3. Só uma curiosidade: saber as regras da nomenclatura INCI tem uma aplicação prática bem interessante. Como os ingredientes devem estar escritos em ordem de quantidade (da maior para a menor), nós podemos ter uma idéia da quantidade existente do “ativo” da fórmula.

    Por exemplo: de acordo com os dermatologistas (a Dra. Beatriz, me corrija se eu estiver errado) para o ácido glicólico fazer algum efeito ele deve estar presente em uma concetração de no mínimo 4%. Se eu compro um cosmético onde o ácido glicólico esteja descrito depois da fragrância, isso quer dizer que o produto muito provavelmente não tem mais do que 0.5% de ácido glicólico, uma vez que fragrância costuma representar no máximo 0.5% de um cosmético.

  4. Jussara: a idéia dos países que concordaram em usar o sistema de nomenclatura INCI (caso do Brasil e da maioria dos outro países) foi justamente padronizar tudo isso, para que em qualquer lugar do mundo as pesoas possam identificar de maneira fácil* os ingredientes dos cosméticos. Pelo fato de o inglês ser a língua mais conhecida, ficou determinado que nos cosméticos os nomes das substâncias devem estar em inglês. Mesmo que tu não saibas inglês, em todos os idiomas os nomes das substâncias são muito similares. Por exemplo:

    Em inglês: retinol, ascorbic acid, hyaluronic acid, sodium lauril sulfate, parabens.

    Em português: retinol, ácido ascórbico, ácido hialurônico, lauril sufato de sódio, parabenos.

    *Na verdade de fácil não tem nada, hehe. 😛 Para quem não tem qualquer noção de química, o que é o caso da maioria dos consumidores, fica difícil saber o que significa até um termo que tenha uma explicação super simples, como, por exemplo, “água destilada”.

    No site da ANVISA há mais informações sobre o INCI:

    http://anvisa.gov.br/cosmeticos/inci.htm

  5. Tb não acho legal essa venda vinculada… no momento não estou usando nenhum produto da marca. Já usei o Episol mas detestei. Não consigo ver os preços dos produtos, acho que só quem tem o cartão, consegue.

    Pedro, como sempre vc sempre colaborando e trazendo informações interessantes :). Não sabia dessas regras da nomenclatura. Mas confesso que acho chato os ingredientes estarem vindo em inglês de uns tempos pra cá. Desde xampús até cremes noturnos, tudo em inglês. Preguiça infinita de ler. Se a gente mora no Brasil, por que os componentes não vêm em português? Que chatice!

  6. Oi Renata!

    só pra deixar claro, não é a minha opinião que eu deixei lá no “Muita estrela”

    como eu falei, é a opinião que eu obtive de médicos de outras especializações, quando comentei que se porventura fizesse medicina (coisa impossivel, já que minha pressão abaixa só de ouvir relatos de cirurgia – embora eu adore House) só teria interesse em oftalmo e dermato. Ai ouvi piadas. Várias.
    Enfim, nem coragem (cof cof, eufemismo) para fazer engenharia eu tive, fiquei na tecnologia mesmo.

    bjs!

  7. olá Beatriz. aqui é Laiara e quem me disse do seu blog foi a Loo do VnF. é que estava rolando uma discussao no blog da Jud (http://judyintheskywithdiamonds.blogspot.com/) sobre dermatologistas que abominam maquiagem, daí ela me indicou seu blog para q eu tenha uma opiniao diferente. vou fazer outro post sobre estetica, maquiagem dermatologia, pele etc…e queria mto saber sua opiniao a cerca do assunto para fazer um bom post p/ ficar mais por dentro do q estou falando, o texto que escrevi está aqui: http://judyintheskywithdiamonds.blogspot.com/2009/04/utilidade-publica-dermatologia.html.

    o q vc acha sobre esse assunto? publicar no post a opiniao de um profissional sera otimo. meu e-mail: makeuplai@gmail.com

    ficarei mto feliz com seu retorno.

    bjos

    Laiara

  8. Oi, Beatriz!

    Muito obrigada pela dica 🙂

    Gostei da idéia porque encontrei dificuldades para comprar o Episol Loção oil-free da última vez que tentei, não achava disponível em lugar algum. Acabei comprando um outro da Helioblock, que não gostei tanto. Tanto que para comparar os preços vi que o Episol que gosto atualmente está em falta na Ultrafarma e na Onofre (pela internet). Mesmo assim, pude verificar que no e-piderme está mais barato que na Ultrafarma.

    Para conseguir fazer o cadastro, liguei no atendimento do site, 0800 773 1616, e me passaram o número porque expliquei que minha dermato não tinha recebido o cartão para distribuir aos pacientes. Me disseram que os representantes comerciais vão atras dos dermatologistas para distribuir os cartões.

    Então, com o número que o 0800 me passou, consegui me cadastrar. Ótimo 🙂 não vejo a hora do meu atual protetor acabar para conseguir meu Episol :).

    Obrigada, novamente 🙂

  9. Como sou alérgico a certas substâncias, sou obrigado a checar a lista de ingredientes antes de efetuar alguma compra. Portanto, o que gostei nesse site é que estão disponíveis as composições de todos os produtos. Isso é raro em se tratando de sites brasileiros. Nos sites americanos de vendas on line até os ingredientes dos perfumes costumam estar disponíveis, já nos brasileiros… Parece que brasileiro não tem direito a ter alergia! 😛

    No entanto, como nada é perfeito, vi que as listas de ingredientes dos produtos que estão disponíveis no site não respeitam as regras do INCI (International Nomenclature Cosmetic Ingredient). O INCI determina que a ordem das substâncias devem estar descritas na ordem de maior quantidade para a de menor quantidade* (por exemplo: se água é o ingrediente presente em maior quantidade no produto, ela deve estar listada em primeiro lugar; se a fragrância é o ingrediente usado em menor quantidade, ela deve estar listada em último lugar).

    *Um químico já me falou que as substâncias que forem usadas em uma quantidade menor do que 1% podem estar descritas em qualquer ordem. Mas não tenho certeza.

    Conclusão: o webmaster, na hora de ter copiado os ingredientes, deve ter pensado que ele poderia colocá-los em qualquer ordem, hehe. Talvez tenha faltado a revisão de um farmacêutico para o site; um farmacêutico formulador de produtos provavelmente se atentaria a isso.

    A, e concordo que as vendas deveriam estar liberadas para o público em geral. Afinal, são produtos que foram registrados na ANVISA como cosméticos, e não como medicmentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *